Matéria ESPECIAL de Entretenimento – Um Brasil que faz videogames!

ESPECIAL Entretenimento: Um Brasil que faz videogames!”. Matéria de Carlos Campos para o site “Claquete Virtual”, 2008.

Divulgação

De muita história nas arenas brasileiras de videogames oficiais, a Tectoy – patrona de eletrônicos e de produtos licenciados pela japonesa SEGA, como o Mega Drive e o Master System – recentemente anunciou uma “bombástica novidade” na direção da sedimentação do universo gamemaníaco verde-amarelo. “Todo o ecossistema será beneficiado, desde o publisher – seja um estúdio internacional ou um desenvolvedor local – que abrirão empregos e alavancarão a indústria de games nacional, até o varejista. Fora o governo que certamente arrecadará mais impostos”, antecipa Fernando Fischer, CEO da companhia, propagandeado a “quarta plataforma mundial”, chamada Zeebo – o mais novo console produzido pela fábrica da empresa (instalada na “Zona Franca” de Manaus). Inicialmente previsto para chegar às lojas tupiniquins no primeiro trimestre de 2009, o Zeebo ganhará posteriormente um lançamento internacional, previsto desde a formação (em 2006) do enorme conglomerado responsável por sua criação/licenciamento (capitaneado pela própria Tectoy). “O Zeebo é um projeto global que envolveu empresas de sete diferentes países: Brasil, EUA, Argentina, China, Israel, Japão e França”, exemplifica Fischer.

Todavia, apesar do apóio de praças importantes, a expectativa é realmente atingir os “emergentes” – uma manobra focada comercialmente nos gamers que ainda não vivem a “realidade” das dispendiosas máquinas de última geração (vide PlayStation 3 e o Xbox 360). “Esses consumidores estão ávidos por uma opção de entretenimento/educação de altíssima tecnologia – a preços acessíveis – e o Zeebo oferece isso”, complementa Fernando. Todavia, para combater muitas das entravas que dificultam a comercialização legalizada de tecnologias “caríssimas” nestes locais, o Zeebo oferece um sistema diferenciado de fornecimento, eliminando as mídias físicas e instalando um – emérito – conjunto de compras “virtuais” – através da rede (wireless) ZeeboNet3G, onde os consumidores poderão conectar-se de graça (diretamente no aparelho) e sem a necessidade de modem – ou gastos extras com banda larga – isso, nos locais onde há cobertura 3G. “Este modelo de negócio é totalmente inovador e trata-se da primeira iniciativa realmente antipirataria no mundo dos games”, diz o CEO da Tectoy, apostando numa estratégia de preços competitivos e alicerçados na impossibilidade de haver “cópias” dos arquivos alocados – sem intermediários – na protegida memória interna do hardware. Uma articulação antipirataria efetuada com os tais Z-Credits, pontos utilizados na obtenção dos jogos via download, os mesmos que serão comprados por meios variados, tipo cartão de débito, cartão de crédito, boleto bancário ou débito em conta corrente.

Tudo usufruindo da peculiar interface exclusiva do Zeebo. Contudo, apesar dos avanços mercadológicos na distribuição simples e segura destas mercadorias, o fator primordial para o sucesso – ou fracasso – da empreitada ficará a cargo da qualidade final de seus games, fundamentalmente. “Estamos trabalhando com franquias de renome, mundialmente famosas, como Eletronic Arts, Activision, Sega, Namco, Capcom, entre outras… E a adesão desses players confirma como nosso pacote é revolucionário”, previne-se Fernando Fischer, preservando total atenção para a excelência dos títulos em desenvolvimento (especialmente pro Zeebo – e contando com localizações em português). Segundo o material de divulgação liberado pela Tectoy, serão 10 jogos saindo simultaneamente nesta primeira leva (mais 50 deles chegando ao longo de 2009), além dos 6 jogos que já virão instalados no Zeebo: “Action Hero 3D”, “Treino Cerebral”, “Prey Evil”, “Quake” e outras 2 peças não-nomeadas (mas confirmadamente de corrida e futebol, respectivamente) da popular Eletronic Arts. Os preços dos games estão previstos para serem a partir de R$ 10,00 cada. O console, por sua vez, está cotado pra ficar na faixa dos R$ 500,00. Curiosamente, também teremos o tal “Acelerômetro” – acessório que dota o joystick de “sensor de movimento”.

Fonte: Tectoy

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Matérias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s